Zine Pasárgada
foi um Fanzine cultural e educacional que se propôs divulgar os mais diversos tipos de expressões artísticas e os mais variados assuntos.

O jornal Pasárgada teve 3 edições impressas e distribuídas na cidade de Piracicaba/SP e está guardado, junto com outras idéias, no limbo da falta de tempo e dinheiro.

O blog retomou a proposta do Zine e abriu espaço para diversidade de idéias e de expressões.

Hoje o blog acompanha o jornal e as atividades estão encerradas.

Foi uma grande satisfação ser um dos amigos do Rei.

Fábio

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Como tornar-se um doente mental


Nesta última semana terminei de ler um livro chamado "Como tornar-se um doente mental".
O livro me chamou a atenção por se tratar totalmente do inverso daquilo que buscamos (será?) hoje. O autor, um psiquiatra português, traz ao leitores "dicas" de como se tornar um doente mental.
É engraçado pensarmos em alguém dando dicas sobre isso, justo em um momento onde a saúde é tão discutida (somando as explicações completamente neuróticas do Sr. Dr. Drauzio Varella no Fantástico aos domingos e muitas outras mais).

Mas na verdade será que realmente procuramos a saúde? Seja ela física ou mental?
As vezes a busca pela saúde não é, necessariamente, pela saúde. As informações que muitas vezes são disponibilizadas com características de ajuda, podem, com muita força, se transformar numa procura incessante pela doença. 
Sabemos que algumas pessoas, quanto mais sabem, mais acreditam ser portadoras dessa ou daquela patologia, o que transforma a intenção de ajuda, bem-estar e melhor condição de vida, em uma vida completamente atormentada pelos sintomas.
O diagnóstico agora é fácil, ninguém mais precisa de diploma de medicina ou psicologia pois, "de médico e louco todo mundo tem um pouco" (sim, me referi aos psicólogos como "loucos"), então todos estão aptos a dizer o que você, eu ou ele tem.

No livro, o psiquiatra vai descrever doenças relacionadas ao "psi" mas pela nomenclatura psiquiátrica (digo isso pois muitas patologias descritas, recebem outra referência pela Psicanálise), através do DSM-IV (o livro de diagnóstico médico americano que é conhecido universalmente), o qual, na minha opinião é totalmente complexo e confuso, fazendo com que cada médico possa interpretar os diagnósticos de uma forma diferente do outro.
Os capítulos do livro descrevem as seguintes (psico)patologias:
1º Como torna-se um fóbico
2º Como tornar-se um paranóico
3º Como tornar-se um obsessivo-compulsivo
4º Como tornar-se um histriônico
5º Como tornar-se um maníaco-depressivo
6º Como tornar-se um esquizofrênico
É assim então que ele vai te ensinar a ser aquilo o que você adora dizer que é, tentando convencer todos a sua volta e até o próprio médico. Sendo assim, faça da forma correta, sem desculpas mirabolantes.

A linguagem do autor é objetiva e clara, sendo o livro acessível por qualquer pessoa, seja ela da área da saúde, ou não. Gostei da maneira como ele se coloca, onde assume que muitos psiquiatras diagnosticam pessoas simplesmente para dizer que souberam encontrar a patologia, o que MUITAS vezes não acontece. E que também, muitos não encaminham seus pacientes aos devidos profissionais pois não conseguem aceitar que não capazes de resolver o problema (narcísico deles, obviamente).
No último capítulo então, ele vai dizer àqueles que procuram uma vida saudável, como devemos fazer para alcançá-la, mostrando que muitas vezes esse é o caminho mais fácil e mesmo assim não enxergamos!

Para quem se interessa em saúde, principalmente mental, indico a leitura desse livro, pois além das descrições de aspectos curiosos de cada patologia, acabamos percebendo o quanto nós estamos presos a um ciclo completamente vicioso, que é o ciclo da generalização e do "achismo". 
Muitas informações, infelizmente, são usadas com o seu propósito contrário, e o aumento destas informações está transformando um mundo, que deveria (ou se pretende) ser mais saudável, em um mundo cada vez mais neurótico.

Informações sobre o livro:
"Como tornar-se um doente mental"
Autor: José Luís Pio Abreu
Editora: Academia
Ano de edição: 2008
Páginas: 196

Abç... Patrícia ( Blog | Twitter )

3 comentários:

Wallace de Melo Gonçalves Barbosa disse...

POxa, gostei da resenha que você fez desse livro. Pois é, concordo plenamente que a medida que reconhecemos que nossos habitos não tem sido nada saudáveis, continuamos nas mesmas rotinas.
Putz, como dizia o Raulzito: "Quando Acabar o Maluco Sou Eu"!

Fábio disse...

"Mais louco é quem me diz e não é feliz! Eu sou feliz!" =)

Ma disse...

Olá, não li esse livro, mas gostaria de comentar sobre o asunto, que é muito interessante.

Fico de boca aberta com o tanto de 'novas' doenças que são descobertas atualmente, caso você não tenha um comportamento normal (convenhamos que isso é muito relativo) você já é rapidamente diagnosticado, suas vontades, seus desejos, suas manias, Tudo o que você é e o que te compõe pode (e será) usado contra você, porque 'claramente' isso tudo são sintomas dos seus distúrbios(¬¬)

O ser humano esta cada vez mais doente, neste século podemos observar que temos adoecido muito mais do que antes, quanto mais 'evoluímos' mais doentes ficamos??

Mas aonde eu quero chegar é, estamos mesmo ficando tão doentes assim?? ou as gigantes indústrias de medicamentos estão nos fazendo acreditar nisso??


A questão não é sobre a existência de doenças mentais, é sobre medicar aqueles que não a possuem em razão do lucro obtido pelas vendas.

Assisti essa semana um documentário bem legal que analisa essa questão..(mas ele não trata somente desses 'novas' doenças do século e sim a indústria da psiquiatria como um todo, bem interessante)
http://www.youtube.com/watch?v=4hvHSBhW-Fg&feature=feedf

http://www.youtube.com/watch?v=wtcwv0iJZQI&NR=1



Queria parabenizar a galera do Blog, achei bem legal o jeito como vocês abordam os assuntos, gostei muito mesmo, espero que continuem escrevendo!

=**