Zine Pasárgada
foi um Fanzine cultural e educacional que se propôs divulgar os mais diversos tipos de expressões artísticas e os mais variados assuntos.

O jornal Pasárgada teve 3 edições impressas e distribuídas na cidade de Piracicaba/SP e está guardado, junto com outras idéias, no limbo da falta de tempo e dinheiro.

O blog retomou a proposta do Zine e abriu espaço para diversidade de idéias e de expressões.

Hoje o blog acompanha o jornal e as atividades estão encerradas.

Foi uma grande satisfação ser um dos amigos do Rei.

Fábio

quarta-feira, 25 de maio de 2011

O duplo sentido do inocente



Hoje me peguei pensando o quanto os desenhos representam para mim. Desde criança "perdi" muitas horas na TV com desenhos animados. Até hoje na idade adulta continuo perdendo.

Me refiro aqui não só aos desenhos animados, mas aos quadrinhos e as figuras de livros (infantis ou não); aos desenhos coloridos e os em preto e branco; aos desenhos com falas ou os mudos; aos pedagógicos ou os de "humor negro".

Sempre achei que todos possuíam (e ainda possuem) uma essência, a qual pode ser adquirida e compreendida da forma que se achar melhor.

Gosto do contraste que ele tem do mais inocente desenho infantil que leva o conhecimento e o desenvolvimento às crianças, aos contos de fadas que são estudados pela Psicanálise pois envolvem casos de neuroses até transtornos de personalidade. É desse duplo olhar pelo qual me sinto envolvida.

Atualmente, sinto que somos "privilegiados" por esse leque que nos oferece tantas opções para instigarmos a nossa imaginação e também o elo que possui com nossa subjetivação.

Na arte encontramos muitas características da vida, as quais muitas vezes passam despercebidas. Ou  simplesmente estão ali para nos divertir.

Um dos mais queridos para mim (embora tenha muitos para citar) é a animação do Snoopy da turma do Charlie Brown criado por Charles Schulz. Sempre achei uma audácia um cachorro que se senta na mesa de um bar, toma um chopp e ainda é sarcástico com os seres humanos.

Todos eles, desde super-heróis à vilões, ou personagens completamente inofensíveis estão na sua memória e fazem parte da sua história, pois a infância é algo que, irredutivelmente, é carregado com você e sempre será.

Abç... Patrícia ( Blog | Twitter )

6 comentários:

Fábio disse...

Muito bom Paty! Esse tema é mto massa...acho que daria uma série hein?!

Tantos significados, tantos sentidos!
E vc, na psicologia, podia destrinchar isso tudo! =)

Eu curto demais tbm!
E ainda uso muito do meu tempo com essas "bobagens".

Bjos.

ps.: O criador do Snoopy foi o genial Charles Schulz. Ele criou a turma do Peanuts (que aqui no Brasil era o Minduim).

Patrícia Olandini disse...

Sim, tens razão! rs.

Na verdade sou apaixonada por esse tema, acho que uma série seria um tanto quanto justo! :)

Esqueci também de indicar, quando me referi sobre os contos de fadas e estudos da Psicanálise, o livro "O Lobo Mau no Divã" de Laura James.
O livro traz as histórias dos contos de fadas para o olhar patológico. Na verdade as nomenclaturas são psiquiátricas e não psicanalíticas, mas o livro tem um olhar muito interessante sobre essas (psico)patologias que se encontram nestes contos.

Fábio disse...

Então fale desse livro, fale dos outros desenhos, fale de tuuuudo!
ahahahahaha

e qdo for falar das histórias em quadrinhos, eu ajudo! =)

Thiago dos Santos disse...

Ei, cheguei agora, mas o tema é legal, Caverna do Dragão é a essência para a conversa.

Desenho é desenho?

Eu sou da tal teoria que a Uni é? O Vingador é o pai do Mestre dos Magos?

Quem sou eu no sofá, em frente a televisão querendo que todo mundo volte para casa?

=)

Patrícia Olandini disse...

Thiago, essa sua última frase muito me angustiava! rs.
Sempre senti vontade de estar ali junto com eles e empurrá-los para dentro do portal!

Tabùh` Paz disse...

Desde a infância gosto muito do Snoopy. Ele não é um cachorro qualquer. Tem personalidade forte, atitude, é firme, autêntico, e eu me identifico demais com todos os seus defeitos hehehe...