Zine Pasárgada
foi um Fanzine cultural e educacional que se propôs divulgar os mais diversos tipos de expressões artísticas e os mais variados assuntos.

O jornal Pasárgada teve 3 edições impressas e distribuídas na cidade de Piracicaba/SP e está guardado, junto com outras idéias, no limbo da falta de tempo e dinheiro.

O blog retomou a proposta do Zine e abriu espaço para diversidade de idéias e de expressões.

Hoje o blog acompanha o jornal e as atividades estão encerradas.

Foi uma grande satisfação ser um dos amigos do Rei.

Fábio

sexta-feira, 27 de maio de 2011

1984

Por Rodrigo Almeida




Olá amigos do Rei!

Sou um bibliotecário brasileiro. Exercer essa profissão nesta terra tupiniquim onde se lê, em média, menos de 2 livros por ano é o meu maior desafio. Minha revolução é silenciosa e minha vitória não será por acaso.
Por falar em revolução, nas últimas semanas vocês devem ter acompanhado a repressão policial em São Paulo, onde no último dia 21 de maio a polícia dispersou a bala uma manifestação que pedia a legalização da maconha. Tenho muito a dizer sobre a legalização ou não dessa droga, mas neste momento há algo mais importante a ser discutido: liberdade de expressão.

Não há mais ditadura no Brasil, vivemos em um Estado democrático, mas a censura nunca deixou de existir. Um exemplo claro disso foi a demissão do jornalista Heródoto Barbeiro da TV Cultura (subsidiada pelo governo de São Paulo). O mesmo foi demitido depois que falou mal das obras (atrasadas) do metrô de São Paulo.

Quanto mais longe dos livros estivermos, mais perto de sermos alienados e manipulados estaremos.

Atualmente grande parte da população “se informa” por meio da televisão. Se informa, entre aspas, porque são informações desencontradas, que só confundem os telespectadores. O Partido da Mídia Golpista (PMG) brasileira informa de forma tendenciosa, seguindo sempre os interesses de seus patrocinadores. Essa situação me faz lembrar do livro 1984, onde o autor George Orwel descreve com perfeição como uma sociedade é facilmente manipulada. O livro conta a história de Winston, um jovem que vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde o direito individual não existe. Quem está com o controle é o “BigBrother” que vigia e controla por meio da televisão, rádio e jornais.

Seria ilusão esperar que a televisão brasileira contribuísse para o desenvolvimento cultural das pessoas. Pois um povo com senso crítico e politizado não perderia 1 hora por dia da sua vida assistindo novelas.

Se você ainda não leu 1984, o e-book você baixa AQUI . Mas se você é saudosista e prefere o “papel”, pergunte ao bibliotecário da biblioteca mais próxima da sua casa (se bem que estamos no Brasil, acho difícil ter uma biblioteca próximo da sua casa) ou então compre na Saraiva ou Livraria Cultura.

Boa leitura.


Rodrigo Almeida é uma traça disfarçada de bibliotecário e está no blog "Minha Opinião" e no Twitter @bibliotecariosp

9 comentários:

Priscila disse...

Ai De mim! É preciso um gemido grego para iniciar uma discussão sobre os entraves da humanidade

Maria Fernanda disse...

Enquanto professora, não poderia me sentir mais feliz com um post desse ;)

Fábio disse...

Rodrigo, seu post tá muito bom mesmo!

Eu sou privilegiado, moro ao lado da biblioteca do estado em PE e do lado de uma escola, ou seja, duas grandes bibliotecas a disposição... Mas, sei que é um caso isolado.

E eu não assisto novelas, na hora da novela eu mudo de canal e vejo o Ratinho-nho-nho!

=)
ahahaha

Aguardo o próximo post.

Rodrigo Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio disse...

Editado!


Ratinho-nho-nho! =)

Rodrigo Almeida disse...

Salve amigos do Rei!!!

Natália disse...

Excelente post!

Priscila disse...

*** Parabéns ;) ***

Edson disse...

a minha maior tristeza é justamente ver na televisão(ver é modo de dizer, porque eu me recuso a assistir aquilo) uma referência a esse livro se tornar o que há de pior na mídia nacional.