Zine Pasárgada
foi um Fanzine cultural e educacional que se propôs divulgar os mais diversos tipos de expressões artísticas e os mais variados assuntos.

O jornal Pasárgada teve 3 edições impressas e distribuídas na cidade de Piracicaba/SP e está guardado, junto com outras idéias, no limbo da falta de tempo e dinheiro.

O blog retomou a proposta do Zine e abriu espaço para diversidade de idéias e de expressões.

Hoje o blog acompanha o jornal e as atividades estão encerradas.

Foi uma grande satisfação ser um dos amigos do Rei.

Fábio

quarta-feira, 20 de julho de 2011

SEJA HOMEM!


Esses dias, uma amiga me deu uma carona. Quando ela cruzava uma avenida, foi surpreendida por um motorista imprudente que ultrapassou seu carro em alta velocidade e deu "aquela" fechada. Não deu outra! Minha amiga, enfurecida, solta um alto e sonoro "SEU VIADO!" para o rapaz. Ele acelerou, entrou em outra rua e o perdemos de vista para sempre.

Passado o susto, segue o diálogo:

- Amiga, por que você o chamou de viado?

- Você não viu não? Ele me deu uma fechada, e...
- Ela pausou sua fala e imediatamente percebeu o que disse. Usou a palavra "veado" (ou "viado", sei lá a pronúncia e a escrita corretas), um adjetivo pejorativo aplicável para homossexuais afeminados, e o empregou para tentar "diminuir" um motorista imprudente.

Estamos em pleno ano 2011, século XXI, terceiro milênio, e ainda existem pessoas que usam palavras como xingamento que em nada deveriam ofender. Veado? Bicha? Boiola? Frouxo? Marica? Minha amiga perdeu uma ótima oportunidade de chamar o rapaz de infeliz, desgraçado, babaca, anta, desprezível... Mas aí ela o chama de "homossexual afeminado". Imagine se um dia ela "sem querer" dá uma fechada em um rapaz e ouve como xingamento: "Sua heterossexual!" Faria algum sentido?

Da mesma forma, já reparei a maneira como algumas pessoas usam a palavra "homem" como sinônimo de "ser heterossexual". Minha família tem pelo menos 12 homossexuais, homens e mulheres. Diversas vezes ouvi de pessoas esclarecidas, com boa formação acadêmica, o emprego de "ser homem" como sinônimo de "gostar de mulher", em oposição a "ser bicha". Fulano é homem ou gay? Poxa, ele é as duas coisas! Homem e gay! Não é?

Essa incompreensão incomoda profundamente, pois sabemos que "ser homem" é uma questão não apenas de gênero, mas de atitude: "Seja homem! Tenha atitude! Não fuja da briga! Tenha caráter! Seja autêntico!" E se por outro lado também aprendi que "ser homem" é uma questão de postura masculina, trejeitos, virilidade, tive que ressignificar este aspecto semântico quando descobri que não existe opção, mas sim orientação sexual.

Por hoje, termino acrescentando uma das definições do dicionário Houaiss para a palavra "HOMEM":
"O ser humano (...) considerado sob o ponto de vista dos sentimentos, fraquezas, perplexidades etc. inerentes à sua natureza humana. Exemplo: Sendo homem, é passível de erros."

Beijo nas crianças!

Escrito por Tabuh Paz - http://twitter.com/tabuh

8 comentários:

Fábio disse...

Poxa, xingar de Anta ofende a fauna! =/

ehehehe

cara, isso está mesmo tão arraigado né? Eu tento me policiar, mas vira e mexe tbm uso esses termos de maneira pejorativa.

Mudar é sempre um desafio... e foi ótimo o tema desse texto!

=)

Julia disse...

É igual aquele lance de chamar de FILHO DA PUTA, né?

Afinal,
1) O que a mãe tem a ver com a situação?
2) POR QUE RAIOS PUTA É USADO COMO UM XINGAMENTO?!!!!

Tenso.

Fernanda disse...

KKK é xingar de anta ofende a fauna!! Fábio me mostrou o texto por conta de eu ser amiga de muitos gays, mas muuuuitos mesmo, tanto homens quanto mulheres. E penso que o xingamento viado não é mais relacionado à opção sexual não.. ja foi algum dia.. mas não é mais. Os gays xingam de viado, os heteros xingam, eu xingo, tu xingas e ele xinga! É igual falar filho da puta, ninguém ta nem pensando na mãe de ninguém.. é o cara q é "filho da puta".

Julia disse...

é, fernanda, mas tem que pensar que todo termo é uma construção social. ou seja, por trás de cada termo existe uma história, um signo. continuar os usando sem repensar é danoso...

Tabuh Paz disse...

Exatamente! Existe uma coleção de termos que deveriam ser pensados, como retardado, coitado, judiação, etc. Não, não sou a favor de uma "faxina linguística"! É só uma questão etimológica, conhecer a origem dos termos. As pessoas que fazem isso naturalmente aumentam seu vocabulário e ampliam suas possibilidades de xingar, ô coisa boa xingar - mas ofendendo a pessoa certa!

Fábio disse...

acho que eu concordo com todo mundo, discordando!
ehehehehe

a Fernanda tem razão tbm...as vezes as palavras acabam em uma dimensão maior do que o seu significado e criam novos significados.

Não sei dizer se os xingamentos em questão são essas palavras, mas, algumas com origem preconceituosa, como a citada "judiação", ou "denegrir" por exemplo, já tem significados outros e não podem ser classificadas em preconceito...

Acho que, ter consciência e conhecer o desenvolvimento dos termos ajuda muito... mas, vai saber como isso tudo pode ser feito sem ofender ninguém né?

Até pra xingar tem que tomar cuidado em como ofender né não? ehehehe

Tabuh Paz disse...

Sim, Fábio, também concordo contigo discordando. As palavras mudam ou ampliam seu significado, mas algumas não, por isso não vejo sentido em alguém chamar um otário ao meu lado de "destro", "canhoto", "homossexual" ou "heterossexual", nem que seja por desconhecimento por parte dessa pessoa. E nem sempre é uma questão de mera "ampliação semântica" (nossa, isso existe? hahah), muitas vezes é preconceito mesmo. Acho no mínimo responsável conhecer o vocabulário que usamos, além de mudar de paradigmas... Putz, esse povo da "inclusão" e esse povo de "Letras" me fizeram mal! hahaha ABraços!

Fábio disse...

a questão é, se eu for um conhecedor do vocábulo não serei preconceituoso ao usar o termo?

Oo