Zine Pasárgada
foi um Fanzine cultural e educacional que se propôs divulgar os mais diversos tipos de expressões artísticas e os mais variados assuntos.

O jornal Pasárgada teve 3 edições impressas e distribuídas na cidade de Piracicaba/SP e está guardado, junto com outras idéias, no limbo da falta de tempo e dinheiro.

O blog retomou a proposta do Zine e abriu espaço para diversidade de idéias e de expressões.

Hoje o blog acompanha o jornal e as atividades estão encerradas.

Foi uma grande satisfação ser um dos amigos do Rei.

Fábio

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A crise no São Paulo.


O São Paulo se destacou em sua história recente por ganhar muitos títulos. Estaduais, nacionais, internacionais... o clube vem se consolidando, desde 2005, como o melhor time do Brasil. Até 2008 tudo ocorreu bem. Mas a partir do início de 2009, o Tricolor deu início a uma queda em seu rendimento, que até hoje, não cessou. Na última quarta-feira, 26 de Outubro, o clube foi eliminado da terceira competição no ano(Sul-Americana), e ficou evidente que há uma crise interna no clube, causada, provavelmente, pela interferência do presidente Tricolor, Juvenal Juvêncio(o JJ), no time(e algumas vezes até dentro de campo). Na útima segunda-feira, foi contratado o 3° técnico da temporada, o explosivo Émerson Leão, que há um ano estava parado. Leão foi contratado com a missão de fazer o que, antes era obrigação, mas agora é dúvida; ou seja: classificação para a Libertadores 2012. Mas o time, que ''precisava de um choque'', como disse JJ, se mostrou o mesmo do ano todo, ontem, em solo paraguaio. E muitos começaram a questionar: até que ponto JJ e a diretoria interferem no rendimento dos jogadores dentro de campo?


Leão: chegou para acordar o time.

''Administração diferente, marketing diferente, futebol diferente. O São Paulo é um clube diferenciado dos demais''. Esta frase, dita pelo então presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, ficou famosa. No auge das conquistas, em 2007, onde o clube já acumulava uma Libertadores(2005), um Mundial Interclubes(2005), e os Brasileiros de 2006 e 2007, o São Paulo era realmente um clube diferente. Apenas o Internacional poderia peitar o São Paulo, dentro do Brasil. Mas até 2008, o São Paulo reinou soberano no Brasil. O que poderia então acabar com essa hegemonia? A obsessão pela Libertadores. JJ queria mais do que tudo a conquista do título continental, mas Muricy Ramalho parecia patinar quando o assunto era mata-mata. E assim, o São Paulo foi eliminado em 2006(final), 2007(oitavas), 2008(quartas) e 2009(quartas) na Libertadores, sempre por clubes brasileiros. JJ então, não teve dúvidas: demitiu o técnico tricampeão brasileiro pelo Tricolor. E aí o São Paulo começou a descer a ladeira.

Muricy: Juvenal demitiu o ''Rei do Brasileirão''.

Com ''contratações cirúrgicas''(que mais pareciam pacotões de reforços aleatórios), rixas com presidentes rivais(Andrés Sanchez) e com CBF, por causa da questão Copa no Morumbi, o São Paulo foi se isolando cada vez mais dos outros clubes, graças ao JJ. Como se não bastasse, Juvenal ainda venceu as eleições do clube no ano passado, e hoje cumpre seu terceiro mandato como presidente do São Paulo. Mas a interferência do cartola dentro de campo parece ter chegado a um ponto sem volta. Como no caso de Rivaldo, em que JJ o contratou, o jogador derrubou dois técnicos, e com a chegada de Leão, foi barrado no elenco(e ao que tudo indica, com o apoio da diretoria). A crise política dentro do São Paulo, assim como a do Palmeiras, afeta o rendimento dos jogadores dentro de campo. E estes, mesmo ganhando bem, e sendo pagos para jogar futebol, não conseguem se concentrar em suas responsabilidades. Ainda mais no São Paulo, com um jogador com mais de 20 anos de clube, como Rogério Ceni, que é um líder dentro do elenco, e conta com o apoio de todos os jogadores.

Aposta da diretoria, até agora não jogou o esperado.

Todos achavam que o problema do São Paulo era o elenco(hoje o clube conta com um dos melhores, se não o melhor elenco do país, com reservas que poderiam ser titulares em qualquer clube do Brasil). Com o bom elenco, a culpa caiu no treinador(dois treinadores se foram, e o time continua com o mesmo futebol apático que vem apresentando desde o começo do ano). Agora todos se viram para onde está o verdadeiro problema: na diretoria, e na gestão de Juvenal Juvêncio. Com certeza, Juvenal Juvêncio usaria a frase-logo do Barcelona para expressar o ''seu São Paulo'': Mais que um clube. Mas hoje, o São Paulo é o contrário: Um clube a mais.

Juvenal Juvêncio, o JJ.

2 comentários:

Fábio disse...

Juvenal Juvêncio não é JJ, é Juju!

Leonardo Lopes disse...

JJ, JuJu.. qualquer um dos dois serve de apelido pra esse crápula! hahaha