Zine Pasárgada
foi um Fanzine cultural e educacional que se propôs divulgar os mais diversos tipos de expressões artísticas e os mais variados assuntos.

O jornal Pasárgada teve 3 edições impressas e distribuídas na cidade de Piracicaba/SP e está guardado, junto com outras idéias, no limbo da falta de tempo e dinheiro.

O blog retomou a proposta do Zine e abriu espaço para diversidade de idéias e de expressões.

Hoje o blog acompanha o jornal e as atividades estão encerradas.

Foi uma grande satisfação ser um dos amigos do Rei.

Fábio

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Finalmente, Serra colheu o que plantou!

A campanha de José Serra a presidência da república, desde antes da confirmação, esteve recheada de ódio, violência, boataria e intolerância.

Quando se iniciou a campanha, Dilma Rousseff já havia ultrapassado o tucano nas pesquisas e o que já era ruim só piorou.

Aborto, terrorismo, fichas falsas, dossies... baixarias que caracterizam as campanhas do PSDB há algum tempo.

Agora os cabos eleitorais de Serra foram enfrentados no Rio de Janeiro, onde ocorreu uma pancadaria generalizada (clique aqui para mais).

Serra tem feito promessas impossíveis e improváveis. Entre as impossíveis está o reajuste aos aposentados e no salário mínimo, rebatido por especialistas como sendo puro oportunismo. (aqui, a comprovação de que é impossível)

Entre as improváveis, está por exemplo a promessa de que vai se reunir com professores para conversar. O que há é que Serra, quando governador de São Paulo, não recebeu os professores que estavam em greve e queriam negociar, além de, para dispersar a manifestação, chamou a polícia, que atirou bombas e deu muitas pancadas nos mestres.

Esses são apenas DOIS exemplos, há muitos, mas não é esse o propósito desse texto.

O propósito de tal é mostrar que Serra tem mexido com o íntimo de muitas pessoas. Imaginem como se sente, um professor que apanhou da polícia e que ouve Serra dizer que vai se reunir com professores se for presidente.

Ou qualquer um que entenda um pouco de economia e tenha a confirmação que Serra está mentindo ao prometer aumentos impossíveis.

O candidato prega um governo de união, mas sabe-se que nem em seu próprio partido ele tem todos ao seu lado.

Essa é a parte mais tranquila da parcela dos que estão com ódio de José Serra...

Há também os que se sentiram ofendidos por um discurso hipócrita sobre religião.
Ou os que estão bastante instigados pela homofobia, pelo desprezo da diversidade ou pelo desrespeito à opiniões de minorias.

Há os que estão com ódio por Serra apresentar comportamento contraditório, dizendo da boca pra fora que ama nordestinos, quando na verdade já desdenhou até do sotaque da região.

Serra dividiu religiões. Católicos estão confusos com boatos. Evangélicos sem saber qual lider de tantas igrejas seguir. As outras religiões, como as afrobrasileiras ou as orientais, foram simplesmente ignoradas (ou poupadas dessa grande bobagem).

A produção de ataques, ódio e rancor, foi vasta e abundante, como nunca visto depois de 1989 (primeira eleição após a redemocratização do Brasil).
Sabe-se que, desde o início da campanha, o PSDB contratou internautas para produzir esses ataques. Todos com perfis falsos nas mais diversas redes sociais ou com e-mails anônimos, repassados de computador a computador.

O resultado está chegando, mais tarde do que eu imaginava.

O povo brasileiro já repudiou esse tipo de coisa antes e desde a eleição de Fernando Collor, isso não tem retorno positivo para quem cria as mentiras e a raiva.

Serra foi confrontado por manifestantes no Rio de Janeiro, isso muitos já sabem. Certamente isso será explorado, o candidato posará como vítima e acusará a sua adversária.

O que pouca gente sabe, ou o que pouca gente parou para analisar, é que, esse ódio está presente Brasil a fora.

Hoje, no centro do Recife, vi um senhor de meia idade, hostilizando um menino que fazia propaganda de José Serra com sua bicicleta.
O senhor gritava na direção dele: "Saia daqui! Esse aí (Serra) odeia nordestinos, é um pilantra, tem que apanhar! Aqui não vai conseguir nada não!"
Em volta do homem, muitos concordavam e prestavam-lhe solidariedade, acenando com a cabeça ou confirmando com outras palavras dirigidas ao moço da bicicleta.

A campanha de Serra pode ter conseguido votos para o tucano, mas já se sabe que a um preço muito alto. Conseguiu igualmente, produzir rancor e discórdia, desunião e desrespeito, em um país que não precisa de nada disso.

.

Não, o Brasil não precisa de um governante assim.


ATUALIZANDO: Já se confirmou que não houve pancadaria e APENAS uma confusão e empurra-empurra.

ATUALIZANDO 2: O Serra se mostrou mais uma vez digno de chacota! Foi atingido por uma BOLINHA DE PAPEL AMASSADO e foi até no hospital fazer tomografia... Usou tudo no horário eleitoral e é responsável por uma das maiores piadas da política nacional.

ATUALIZADO 3: Hoje (21/10) no supermercado, uma mulher na fila do caixa, brigava com outra por conta de um adesivo da Dilma, que a outra usava no peito. A mulher pró-Serra, dizia que Dilma falou mal de Jesus, que Dilma era uma terrorista que devia ter vergonha de seu passado sujo e outras tantas coisas que fazem parte da cartilha de ódio transmitida pelo PSDB. Em certa altura, meu amigo Ruy não se controlou e foi confrontar a informação da mulher que disse, gritando na fila do supermercado, que quem vota no PT é "pobre e burro", ofensa barata e batida. Mais uma demonstração do ódio gratuito que estamos sendo expostos todo dia.

2 comentários:

Ruy disse...

Pior que depois eu fiquei com pena dela e me arrependi de discutir. A verdade é que a maioria, mesmo ela, sequer pensa no que diz. Repete discursos e olhe lá... É a política o medo. Infelizmente não passa de medo. Medo de mudar, medo de progredir ou regredir, medo de perder... MEDO!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.